(48) 3221-2726
imprensapadrepedro@gmail.com
Sala de Imprensa

Você está em: Início  Sala de Imprensa  Em degustação de vinhos, deficientes…

 Em degustação de vinhos, deficientes visuais impressionam especialistas
Publicado em 15 de Junho de 2017

Mais de 100 pessoas participaram, em 13 e 14 de junho, de cinco oficinas de degustação de vinhos catarinenses, na Fundação Cultural Badesc, em Florianópolis, dentro das comemorações do Dia do Vinho no Estado. As oficinas divulgam a VI Mostra do Vinho Catarinense, que acontece de 14 a 16 de julho, em Videira.

Na manhã da quarta-feira (14), no entanto, o trabalho foi exclusivamente dirigido a um grupo de deficientes visuais, numa parceria com a Associação Catarinense para Integração do Cego (ACIC). Como aconteceu em 2016, o resultado destas oficinas com integrantes da ACIC impressionou especialistas e organizadores da Mostra, como o deputado Padre Pedro Baldissera, que também acompanhou o trabalho na edição do último ano. “A capacidade sensorial é incrível e as avaliações, na edição do ano passado e neste ano, demonstram aprofundamento, mesmo no primeiro contato”, disse o parlamentar.

Numa das etapas da oficina, as pessoas são convidadas a experimentar uma taça de vinho branco em temperatura ambiente, e outra com o líquido refrigerado. O vinho é o mesmo, no entanto, quase todos os participantes acreditam que são bebidas diferentes. Já na oficina com os integrantes da ACIC, a avaliação não foi essa.

“É o mesmo vinho, eu tenho certeza”, disse a funcionária pública Leoni Artmann, 53 anos, que perdeu a visão na infância. Todos e todas na oficina de Leoni acertaram a resposta; era o mesmo vinho. “Tenho o costume de tomar uma taça de vinho todos os dias, gosto e sempre quis conhecer mais. Acho interessante a história e o sabor”, complementou.

Mas os resultados, segundo os coordenadores das oficinas, ultrapassam uma análise simples dos vinhos. Conforme a sommelier Márcia Maluf, que criou o projeto e ministra as oficinas, a facilidade em apontar os aromas de cada vinho impressiona até profissionais da área. “Eles conseguem identificar inclusive os defeitos que estão escondidos em um aroma mais intenso. É muito especial acompanhar a forma como desenvolveram sua memória olfativa”, declarou.

Ciência explica

A perda da visão é traumática para muitas pessoas, ao ponto de levar ao isolamento. Além disso, as próprias condições impostas pela sociedade, em muitas realidades, afastam os deficientes visuais do convívio social e dos espaços públicos.

Existem diferentes graus de cegueira e baixa visão, no entanto, algo é comum à maioria das pessoas que enfrentam esta dura realidade: a sensibilidade aguçada de outros sentidos. Muitos estudos se dedicaram ao tema, e o que eles apontam é que memória olfativa e gustativa nestas pessoas é mais desenvolvida.

O fenômeno acontece porque o olfato e o paladar estão diretamente ligados aos mecanismos fisiológicos que regem as emoções. Quando sentimos um cheiro ou um gosto, a informação passa pelas narinas e pelas papilas gustativas e é processada no sistema límbico, parte do cérebro responsável pela memória, sentimentos, reações instintivas e reflexos.

No caso de pessoas cuja visão foi afetada, esta memória é fixada com mais facilidade e também mais variada, o que permite guardarem um universo maior de sensações. É como uma imensa biblioteca de aromas e gostos. Em alguns casos, a “agilidade” para buscar estas informações também é impressionante. “Parece folha de laranjeira, com um pouco de mel”, descreveu o estudante Jonas de Souza, que pela primeira vez participou das oficinas.

No próximo ano, segundo o deputado Padre Pedro, a ideia é manter e, com novos parceiros, ampliar as oficinas dirigidas a deficientes visuais. “É um projeto da professora Márcia que, a partir do vinho catarinense, mostra o imenso potencial destas pessoas em diversas áreas da sociedade”, avalia o parlamentar.

VI Mostra do Vinho Catarinense

A VI Mostra do Vinho Catarinense acontece entre os dias 14 e 16 de julho, em Videira. A programação em junho e julho inclui, além da VI Mostra, oficinas de degustação, atividades culturais, concursos gastronômicos e roteiros de enoturismo nas regiões produtoras de uva e vinho do Estado.

Neste ano, a VI Mostra do Vinho Catarinense terá sua primeira edição no interior do Estado, por isso a expectativa é ainda maior em relação ao evento, que congrega dezenas de vinícolas. Na semana anterior à Mostra, além das oficinas de degustação, Videira terá um Concurso de Molhos à base de uva e derivados, com jurados da área de gastronomia e enologia, e uma consultoria em vinhos voltada a profissionais de bares, restaurantes e hotéis.

A realização é das prefeituras de Videira, Pinheiro Preto e Tangará, com apoio da Assembleia Legislativa, Governo do Estado, Provinho do Brasil, Sindivinho, Cresol e entidades ligadas à vitivinicultura.


Galeria de Imagens


Deputado Estadual Padre Pedro Baldissera - Política a Serviço da Vida. © 2017. Todos os direitos reservados.

Acessar Webmail